domingo, 20 de abril de 2008

O Menino da Sinaleira

Levanta, Miguel
Bença, mãe.
Çoe, Filho.
O chá de erva-cidreira já está pronto,
Peguei na cerca ao lado.
Café sumiu.
E o açúcar, Mãe?
Raspe a vasilha plástica e tome.
É, mãe, o dia de hoje será como o de ontem:
Olhos presos, torcendo pelo vermelho.
E a pressa para quando chegar o verde.
O sinal vermelho...
Não sei se limpo
Ou se olho para a caixinha embaixo do volante.
Os barulhos das moedas são muitos,
Mas entre os dedos, somente uma virá.
Uns me olham com indiferença,
Outros com pena,
Outros descarregam ódio.
Há sempre frases: ¨não limpe¨,
¨Hoje não tenho trocado¨,
¨Amanhã te dou¨.
Vai chegando meio-dia.
Somando o que ganhei,
Só dar para comprar o pão,
Que desce na goela seca.
Mãe, vejo passar meninos da minha idade
Sentados no carro, com as suas bonitas mochilas.
Uns com seu pai ao lado, sorrindo,
Outros com empregados.
Na hora de voltar
É que sinto como envelheço rápido:
Os braços ficam dormentes,
As pernas me doem,
A testa franze,
A boca resseca,
O suor salgado desce pelo rosto,
Os olhos quase fechando...
Não posso nem te beijar, mãe.
Coloco os dois bolsos do calção para fora
E te entrego o nosso sustento.
Sabe, mãe, eu não queria ser aquele menino
Que está no carro sentado, alegre e satisfeito.
Eu queria ser apenas aquele que,
Mesmo com seus livros em saco plástico,
Pudesse sonhar.
Celso Almeida de Lacerda
12.09.1991 às 16h. Precisamente.

5 comentários:

mara disse...

blz gostei muito

Joseima disse...

É quase impossível saber o nome do batalhão de docentes que cruzaram a nossa sua vida. Mas sempre têm aqueles, os grandes mestres, que passam e deixam marcas importantes.E estes são difíceis de esquecer. ELES NOS ENSINAM A SONHAR

JOSEIMA

Anônimo disse...

É isso ai garoto que bela mensagem. Olha você é um grande artista.
Beijos

Léa

Amadeu disse...

Celso,

Tenho certeza que são pessoas como você que ajudam a construir um mundo a cada dia melhor de se viver com menos injustiças e desigualdades sociais.
Um grande abraço!
Amadeu

Marta disse...

Olá Celso, muito bacana o seu blog. Sinto saudade das suas declamaçoes e causos na viagem de LEM a Barreiras, após as aulas na FAAHF. Dê lembrança a todos(as).
Abraço fraterno.
Marta