sexta-feira, 23 de maio de 2008

Doar é amar

Na sua mais bela bondade, a natureza nos presenteou o céu, o ar, o sol, a chuva, as plantas e tantas outras maravilhas. E para nos, moradores desse universo, também nos foi ofertado, pela natureza, nada mais do que cultivar e propagar: a paz, a compreensão, a ajuda, a saúde, o amor e a compaixão, porque acredita na beleza do ser humano.
Todos nós estamos neste universo vulneráveis a qualquer desconforto. Quem de nós não conhece alguém que precisa de ajuda? Que precisa de um sorriso, de um alimento, de um remédio e de uma moradia.
As pessoas que necessitam de ajuda não são diferentes das outras, são pessoas que precisam de apoio. Apoio esse que completa a igualdade.
A indiferença é cruel. Na maioria das vezes a fortuna não representa a paz que desejamos. No momento em que você achar que o outro está te incomodando e te ocupando reflita! A solidão não combina com a paz.
Quem de nós não necessita de atenção, carinho, ajuda e amor. Enxergar o outro só quando está a sua frente é você não fazer parte desse universo.
Procure observar que alguns dos nossos irmãos têm sinais de deformidades na massa que envolve o seu corpo, mas também tem um espírito que irradia e que faz mover o seu ser. Ser este, que traduz em um sorriso livre, um olhar sereno e um afagar suave.
Devemos é lançar a semente do amor em multiplicidade. Semente essa, que floreça e embale a esperança no seu maior sonho de viver dos nossos irmãos.
Não silencie diante de uma ajuda. Repartir, dividir serão as nossas palavras de ordem. Procure a partir de agora buscar as necessidades do seu irmão. Seja lá onde ele esteja em qualquer lugar do mundo. Dizer que não pode ajudar é não conhecer a si mesmo.

Por Celso Lacerda
25. 03. 1999

Um comentário:

Cleice disse...

Oi amigo parabéns pela iniciativa vc e uma dadiva em nossas vidas, foi muito bom compartilhar ideias com vc..abraços..